quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Pesquisa - ANNPOM


CRO, Flávio. Pesquisa, 2016, ação de pesquisar os nomes e os desejos dos participantes da ANNPOM-BH e inserir seus desejos na paisagem. 4 dias.
Fonte: acervo do projeto.
Fotografia: Flávio CRO.

A ação Pesquisa foi repensada e reapresentada durante a Mostra Síncrona, de Curadoria de Celina Lage, Amanda Alves e Gabriela Carvalho, que ocorreu no XXVI Congresso da ANPPOM, no Memorial Professor Aluísio Pimenta, na FADECIT, em Belo Horizonte, MG, dos dias 22 a 26 de agosto de 2016.


A pergunta que norteou a reconstrução dessa proposta foi: como inserir os desejos das pessoas na paisagem?

Para responder a questão acima me apropriei da ideia que direcionava a Pesquisa anterior: <http://flaviocro.blogspot.com.br/2016/08/pesquisa.html>, que consistia em aproximar o ato da pesquisa de campo com o da pesquisa artística ao me apropriar, mesclar e recriar suas metodologias, confundindo suas fronteiras... 

A ação executada também consistiu em uma pesquisa de duas perguntas: qual o seu nome e o qual o seu desejo? As respostas foram transcritas para uma folha de laminado plástico transparente que por sua vez aderia as vidraças do Memorial Aluísio Pimenta.

A proposta visava o embate direto e colaborativo com o público, deslocando-o de expectador a foco da ação, através do ato de pesquisar os seus nomes, desejos e inseri-los na paisagem belo-horizontina ao "publicá-los" na paisagem, demonstrando como a busca por esses desejos, esses sonhos, constam na essência do fazer da arte. 

Mesa com as folhas do questionário 




























CRO, Flávio. Pesquisa, 2016, ação de pesquisar os nomes e os desejos dos participantes da ANNPOM-BH e inserir seus desejos na paisagem. 4 dias.
Fonte: acervo do projeto.
Fotografias: Flávio CRO.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Duas Faces da Arte: Poemas e Telas - Cler de Veloix e Mami CRO


Cler de Veloix; Mami CRO. Sem Título. 2016, técnica mista, dimensões variadas. 

A exposição Duas Faces da Arte: Poemas e Telas de Cler de Veloix e Mami CRO, ocorreu no Centro Cultural Padre Eustáquio, em Belo Horizonte, MG.

A noite de abertura do dia 8 de novembro de 2016, reuniu pela primeira vez o trabalho das duas artistas. Cler de Veloix poeta já com muita experiência exposta em publicações, festivais e concursos se juntou a Mami CRO, artista que em sua primeira exposição abre ao publico o resultado do seu aprendizado na Escola Livre de Arte da Arena da Cultura

Na noite de abertura o público se deparou com algo peculiar durante seu encontro com o fato de que, Cler de Veloix e Mami CRO são pseudônimos da artista Célia Maria Barbosa Rodrigues. Os alter egos criados através da apropriação do nome do seu primeiro marido: Felix Velois e do seu filho, o artista Flávio CRO, demonstraram uma capacidade de recriar sua própria história junto a de outros, nessas colagens que ironizam os limites da construção do nosso eu, que esbarra sempre na construção do outro e pelo outro, na forma como nos vemos, como nos mostramos e como somos lembrados.  

Durante a abertura as declamações das poesias tornavam essa ação uma performance com a qual a poeta insuflava seus sentimentos nas linhas declamadas, resgatando essas palavras da literalidade do texto. Já as misturas poéticas entre o texto e a imagem ocasionaram um amálgama que transformou as memórias em uma coleção kitsch, remetendo ao brilho e destaque com os quais elegemos e "douramos" aquilo que nos afeta. 














  Cler de Veloix durante as declamações par o público. Na foto imediatamente acima, Marconi Marques apreciando as palavras da pupila.


















Cler de Veloix; Mami CRO. Sem Título. 2016, técnica mista, dimensões variadas. 




Declamações do público e serenata!

Carregando as homenagens ao estilo de Paulo Nazareth.

Ganhando os Parabéns de Andreia Torres

Mimos dos fãs.